Resumo: Hérnias

RESUMO: HÉRNIAS

Para baixar o resumo completo em .pdf, clique aqui.

resumo hérnias
HÉRNIAS DA PAREDE ABDOMINAL
  • ANATOMIA (de dentro para fora)
    • Vísceras abdominais.
    • Fáscia transversalis:
      • Anel inguinal interno (ou profundo): início do canal inguinal.
      • Canal femoral.
    • Parede posterior: 
      • Músculo transverso.
      • Músculo oblíquo interno.
    • Parede anterior:
      • Aponeurose do m. oblíquo interno.
      • Anel inguinal externo (ou superficial): final do canal inguinal.
  • CONTEÚDO DO CANAL INGUINAL
    • Homem:
      • Funículo espermático (plexo pampiniforme, m. cremaster, vv. deferentes, conduto peritôneo-vaginal obliterado).
    • Mulher:
      • Ligamento redondo do útero.
HÉRNIAS DA REGIÃO DA VIRILHA
HÉRNIA INGUINAL DIRETA
  • FISIOPATOLOGIA
    • Enfraquecimento da parede posterior: ADQUIRIDA.
    • Triângulo de Hesselbach:
      • Borda lateral do m. reto.
      • Ligamento inguinal
      • Vasos epigástricos inferiores.
    • MEDIAL aos vv. epigástricos inferiores.
  • EXAME FÍSICO
    • Toque do canal: toca na polpa do dedo do examinador.
HÉRNIA INGUINAL INDIRETA
  • HÉRNIA MAIS COMUM DE TODAS.
  • Hérnia típica da infância => correção imediata.
  • Das inguinais, é a que mais encarcera.
  • FISIOPATOLOGIA 
    • Se anuncia pelo anel inguinal interno.
    • Persistência do conduto peritôneo-vaginal: CONGÊNITA.
      • Se houver patência completa = hérnia inguinoescrotal.
    • LATERAL aos vv. epigástricos inferiores.
  • EXAME FÍSICO 
    • Toque do canal: toca a ponta do dedo do examinador.
HÉRNIA FEMORAL (OU CRURAL)
  • Mais comum em mulheres.
  • Mais comum à direita.
  • Maior risco de encarceramento.
  • FISIOPATOLOGIA
    • Se anuncia abaixo do ligamento inguinal.
CLASSIFICAÇÃO DE NYHUS
  • I: indireta com anel inguinal interno normal.
  • II: indireta com anel inguinal interno dilatado.
  • III: defeito na parede posterior.
    • IIIa: direta.
    • IIIb: indireta.
    • IIIc: femoral.
  • IV: recidivante.
    • IVa: direta.
    • IVb: indireta.
    • IVc: femoral.
    • IVd: mista.
TRATAMENTO
  • Redutível:
    • Cirurgia eletiva.
  • Encarcerada:
    • Redução manual até 6-8h.
    • Cirurgia de urgência: caso refratário ou obstrução intestinal.
  • Estrangulada:
    • Cirurgia de emergência.
    • Se reduzir na anestesia: laparotomia!
  • TIPOS DE CIRURGIA
    • Abordagem anterior:
      • Herniorrafia anterior + reforço posterior.
        • Shouldice: imbricação de músculos.
        • Lichtenstein: tela livre de tensão.
        • McVay: boa para hérnia femoral (lig. de Cooper).
CASOS ESPECIAIS
  • Richter:
    • Pinçamento da borda antimesentérica (isquemia sem obstrução).
    • Mais comum na hérnia femoral.
  • Littré:
    • Contém um divertículo de Meckel.
HÉRNIA UMBILICAL 
  • CRIANÇA (congênita)
    • Geralmente resolve de maneira espontânea até os 2 anos.
    • Operar se:
      • Não fechar após 4-6 anos.
      • Maiores de 2 cm.
      • Associada a derivação ventrículo-peritoneal.
      • Concomitante a hérnia inguinal.
  • ADULTO (adquirida)