Indicadores de Saúde

Indicadores de Saúde
Permitem avaliar a saúde da população, usar estes dados para melhorar, manter ou prevenir doenças, através do planejamento e administrações de ações de saúde.
1995 –> OPAS = Organização Pan-Americana de Saúde e o Ministério da Saúde resolvem melhorar a coleta e organização dos dados entre as diversas entidades
1996 –> MS cria a RIPSA = Rede Intergerencial de informações em Saúde (saúde, economica e social) através das mais diversas fontes (em torno de 40 instituições)
Valores Absolutos –> não servem para comparação e sim administração recursos (número de leitos, medicamentos)
Valores Relativos  –> comparações e prioridades –> coeficientes e índices
SIM –> Sistema Informação de Mortalidade = Declaração de Óbito (todo Brasil, hospitalar, ambulatorial, privado e público) –> todos os mortos
SINAM –> todo brasil, privado e público. O Sistema de Informação de Agravos de Notificação – Sinan é alimentado, principalmente, pela notificação e investigação de casos de doenças e agravos que constam da lista nacional de doenças de notificação compulsória, mas é facultado a estados e municípios incluir outros problemas de saúde importantes em sua região, como varicela no estado de Minas Gerais ou difilobotríase no município de São Paulo. Parâmetros para monitoramento da regularidade na alimentação do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN) e do Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM), para fins de manutenção do repasse de recursos do Componente de Vigilância e Promoção da Saúde do Bloco de Vigilância em Saúde.
SINASC –> A Declaração de Nascido Vivo (DN) é impressa em três vias previamente numeradas, sob a responsabilidade do Ministério da Saúde, por meio do Departamento de Análise da Situação de Saúde (DASIS – SVS). O documento é distribuído gratuitamente às secretarias estaduais de saúde que o fornece às secretarias municipais de saúde. Essas secretarias, por sua vez, repassam aos estabelecimentos de saúde e cartórios.
1ª Via –> Deve ficar com secretaria de saúde, por busca ativa ou não
2º Via –> fica no cartório
3ª Via –> Pais
SIH-SUS –> Sistema de Informações Hospitalares do SUS –> utiliza AIH (autorização de internação hospitalar) –> não entra particular e ambulatorial (particular e publico)
Perfil dos Indicadores de Saúde
Perfil demográfico –> queda mortalidade infantil, queda fecundidade e aumento expectativa de vida
Quem morre mais? Homens ou Mulheres –> Homens –> causas externas (agressão é principal)
Piramide Demográfica –> diminuição base. Entre 20-29a está maior proporção (18% população)
Urbanização –> 85% zona urbana
Crescimento Populacional –> 1,37% (2008) e 1,17% (2010). Sul é menor. Fecundidade 2,04/mulher
Esperança de Vida –> 73 anos, variações regionais e mulheres tem 7,59a de diferença para homens em média. Idosos são 11% população, variações regionais, predominio de mulheres.
Mortalidade –> queda óbitos infantis, redução óbitos relativos à doenças infecciosas e aumento mortes cronicodegenerativas
Mortalidade Infantil –> 2009 –> 14,78/1k nascidos vivos
Mortalidade por causas:
Aparelho Circulatóro –> 28%
Neoplasias –> 15,6% –> aumento constante devido controle de outras doenças e envelhecimento da população
Causas Externas –> 12,5% –> crescimento absoluto, masculino jovens principalmente
BR –> agressão é principal causa
Sudeste –> 2001 = 83/100mil –> 2007 = 67,9/100mil –> diminuição das agressões
Sul –>  2001 = 66/100mil –> 2007 = 72,6/100mil –> aumento agressões
Sul –> acidente transporte
SE, N e NE –> homicído
CO –> equilíbrio
Doenças respiratórias –> 10% –> agudas possuem menor heterogenicidade entre regioes
Causas maldefinidas  –> 7,7% (preenchimento erroneo e precariedade recursos médicos) –> prejudicam análise dados
Queda mortalidade por diarréia –> melhoria das condições saneamento e atenção saúde da criança
DM –> aumento com envelhecimento pouplacional –> 19/100mil em 99 –> 25,2/100mil em 2007–> mais óbitos em mulheres
AIDS –> diminuição mortalidade com HAART
Morbidade
Notificação compusória –> maior indicendia Malária, Dengue e Tuberculose
Malária –> incidencia 600mil/ano
TB é mais incidente no Sul (POA e Salvador)
Dengue se mantem alta –> Sul é mais baixa
Sarampo –> diminuição. Em 2006 47 casos na Bahia.
Hanseníase está diminuindo (1,4/100mil no sul, RS 0,4 e ~ 4 no BR)
Neoplasia Mulher –> 1º mama e 2º colo utero
Neoplasia Homem –> 1º Prostata. 2º Pulmão, traqueia, bronquios e 3º Estômago
Internação SUS
Gravidez, parto e puerpério 21%
Aparelho respiratório 12,9%
Circulatório 10%
Internações por causas Externas –> 1º quedas, 2º transporte
Partos –> 1º 20-24 anos, salto percentual 15-19 anos
Diálise –> 50/100mil –> mais em homens
Indicadores de Morbimortalidade
A. Coeficientes = risco = probabilidade = taxas = numerador é diferente do denominador
     1.Morbidade – risco população adoecer
     1.1 – Prevalência – número de casos/população – fotografia (determinado local, tempo)
          Prevalência instantânea e lápsica (período)
          Diminuição da prevalência = Defecção –> morte, cura (tratando ou não) e emigração
          Aumento da prevalência –> casos novos, imigração doentes, tratamento que prolonga mas não cura doença
          Melhor parâmetro avaliar doença aguda –> incidência
          Melhor parâmetro avaliar doença crônica –> prevalência
     1.2 – Incidência – numero de novos casos/população = coeficiente de Ataque (em Surtos) – intensidade
          Prevalencia = Incidencia X duração do agravo
          Densidade Incidência –> numero de casos pelo numero de anos somados de todos os pacientes (soma o tempo que todos ficaram no estudo)
          DI = casos/tempo total
     2.Letalidade – dentre os doentes – risco da doença matar – gravidade da doença –> raiva baixa incidência e alta letalidade (100% morrem)
     3.Mortalidade – risco de qualquer pessoa da população morrer
     a) Mortalidade geral
     b) Mortalidade por causas
          Mortalidade Materna
          Mortalidade por Causas externas
          Mortalidade por Neoplasias malignas
          Mortalidade por Afecções perinatais
     c) Mortalidade por idade
          Mortalidade Infantil
          Mortalidade Neonatal
          Mortalidade Neonatal precoce
          Mortalidade Neonatal tardia
          Mortalidade Infantil tardia ou pós neonatal
          Mortalidade Perinatal
          Natimortalidade
B. Indices
     1.Mortalidade proporcional por idade
     2.Mortalidade proporcional por causa
Indicadores Relacionados à Demografia
Revisão