Resumo: Epilepsia

RESUMO: EPILEPSIA

Para baixar o resumo completo em .pdf, clique aqui.

 resumo epilepsia

NEUROCISTICERCOSE
  • DEFINIÇÃO
    • Cisticerco = forma larvária da tênia solium.
    • Somente ocorre com Taenia solium.
    • Ingestão do ovo da tênia, proveniente de fonte infectada (água, vegetais).
  • CLÍNICA 
    • Manifestação + comum = crises epilépticas.
    • Extremamente variada (depende da topografia da lesão).
    • Comportamento de processo expansivo.
    • Sempre será uma hipótese quando houver epilepsia e alguma lesão focal, ou outros dados sugestivos, EM QUALQUER IDADE.
  • DIAGNÓSTICO
    • Clínica.
    • Exames de imagem
      • TC de crânio: lesões ativas ou calcificadas (cicatrizes).
      • RNM em T1 para ver atividade dos cistos.
    • Líquor: eosinofilia.
    • Testes imunológicos (p.e. ELISA).
  • TRATAMENTO
    • Albendazol (mínimo: 8 dias).
    • Praziquantel.
    • Pode associar ou não corticoide (edema).
EPILEPSIA
  • DEFINIÇÃO
    • Crises epilépticas de repetição.
    • Crise epiléptica = descargas elétricas cerebrais anormais e excessivas.
    • Sem relação com alterações eletrolíticas, drogas, encefalite etc.
  • ETIOLOGIA
    • Distribuição bimodal (crianças e idosos).
    • Neonatal
      • Causas metabólicas secundárias: hidroeletrolítica, hipoglicemia.
      • Anóxia periparto.
      • Doenças congênitas: infecções, síndromes.
    • 3 meses a 5 anos
      • Convulsão febril.
    • 5 a 12 anos
      • Causas genéticas.
    • Adulto
      • TCE.
      • Neurocisticercose.
      • Uso de medicamentos e drogas.
    • Idoso
      • AVEi.
  • CLASSIFICAÇÃO 
    • Parcial ou focal (limitado a um hemisfério)
      • Simples
        • Sem perda de consciência.
      • Complexa
        • Com perda da consciência.
      • Generalização secundária.
    • Generalizada (acomete os dois hemisférios)
      • Ausência.
      • Mioclônica.
      • Tônico-clônica.
      • Atônica.
  • EXEMPLOS IMPORTANTES
    • Epilepsia do lobo temporal (esclerose hipocampal)
      • Crises parciais complexas comportamentais (agressividade, sexualidade, “desligado”)
      • Síndrome epiléptica mais comum no adulto.
      • Esclerose mesial temporal.
    • Ausência típica
      • Também conhecida como ausência infantil ou “pequeno mal”.
      • Pode ser deflagrada por hiperventilação.
      • Ponta-onda 3 ciclos por segundo.
    • Atônica
      • Drop attack.
      • Comum em crianças.
      • Pode ser deflagrada por susto e emoção.
    • Mioclônica
      • Pode manter a consciência.
      • Estímulo / sem estímulo.
    • Pseudocrise
      • Síndrome conversiva.
      • Sem perda de consciência.
      • Observar comportamento.
  • DIAGNÓSTICO 
    • Anamnese.
    • EEG
      • Complexo ponta-onda.
    • RNM / TC de crânio
      • Maior de 18 anos.
      • Suspeição clínica de causa secundária.
  • TRATAMENTO
    • Manutenção
      • Super Trunfo
        • Valproato.
      • Focal / Tônico-clônico generalizada
        • Carbamazepina.
        • Fenitoína.
        • Lamotrigina.
      • Mioclônica
        • Lamotrigina.
      • Ausência
        • Etossuximida.
ESTADO DE MAL EPILÉPTICO (status epilepticus)
  • DEFINIÇÃO 
    • Crises continuas ou repetitivas sem melhora da consciência.
    • Duração: 15 a 30 minutos, no mínimo.
  • TIPOS
    • Status epilepticus convulsivo (tônico-clônico).
    • Status epilepticus não convulsivo (ausência, focal, confusão mental).
  • TRATAMENTO
    • Suporte e medidas gerais da atenção.
    • Glicose 50% + Tiamina IV.
    • Diazepam IV (10 mg) ou retal.
      • Se não melhorar, repetir a dose.
      • Se não melhorar, Hidantal® (fenitoína) IV 10 mg/kg.
      • Se não melhorar, repetir Hidantal® IV 20 mg/kg.
      • Se não melhorar, fenobarbital IV (20 mg/kg).
      • Se não melhorar, fenobarbital IV (10 mg/kg).
      • Se nada resolver, anestesia com midazolam, propofol ou pentobarbital + IOT.