Resumo: Síndromes Diarreicas

RESUMO: SÍNDROMES DIARREICAS

Para baixar o resumo completo em .pdf, clique aqui.

resumo sindromes diarreicas

  • CLASSIFICAÇÃO 
    • Alta ou Baixa (topografia)
      • Alta = delgado = volumosa, baixa frequência, sem tenesmo.
      • Baixa = colônica = pouco volume, alta frequência, com tenesmo.
    • Invasiva ou Não-Invasiva (gravidade)
      • Invasiva (disenteria) = com sangue, muco e pus.
      • Não-invasiva = sem sangue, muco e pus.
    • Aguda ou Crônica (sugere etiologia)
      • Aguda = menos de 2 semanas.
      • Crônica = mais de 4 semanas.
DIARREIAS AGUDAS (INFECÇÕES)
CAUSAS
  • Vírus (mais comum):
    • Norovírus (adultos)
    • Rotavírus (crianças < 2 anos).
  • Bactérias:
    • E. coli (EHEC O157:H7) -> SHU.
    • Shigella sp. -> SHU / Alterações do SNC (crises convulsivas).
    • Campylobacter jejuni -> síndrome de Guillain-Barré.
    • Salmonella sp. -> infecções a distância.
    • Campylobacter e Yersinia -> pseudoapendicite.
ABORDAGEM
  • Investigar quando:
    • Desidratação, fezes com sangue, febre alta, sem melhora após 48h, idosos, imunocomprometidos, uso recente e antibióticos.
  • Exames:
    • Hemograma completo, bioquímica (eletrólitos e FR), exame das fezes com EPF.
  • Tratamento:
    • Hidratação.
    • Imosec® (loperamida) = NÃO USAR em disenteria.
1) COLITE PSEUDOMEMBRANOSA (C. difficile)
  • Fator de risco: uso recente de antibiótico (clindamicina / cefalosporina / quinolona).
  • Diagnóstico: pesquisa de toxina nas fezes OU cultura OU colonoscopia.
  • Tratamento:
    • Casos leves: Flagyl® (metronidazol).
    • Casos graves: Vancocin® ORAL (vancomicina).
DIARREIAS CRÔNICAS 
1) DOENÇA CELÍACA (ESPRU CELÍACO)
  • ETIOLOGIA:
    • Reação à proteína do glúten: trigo, centeio e cevada.
  • CLÍNICA:
    • Variável: Assintomático / disabsorção parcial (Ca, Fe, esteatorreia) / disabsorção total / paranoia / depressão / ataxia
    • Condições associadas: dermatite herpetiforme, deficiência de IgA, síndrome de Down, linfoma e adenocarcinoma de jejuno.
  • DIAGNÓSTICO:
    • EDA + biópsia: padrão-ouro.
    • Sorologia:
      • Antitransglutaminase tecidual IgA (mais acurado)
      • Antigliadina IgA e IgG (crianças menores de 18 meses)
      • Antigliadina deaminada IgG (em casos de deficiência de IgA)
      • Antiendomísio IgA (mais específico)
  • TRATAMENTO:
    •  Dieta livre de glúten.
2) DOENÇA DE WHIPPLE
  • ETIOLOGIA:
    • Tropheryma whipplei (bacilo Gram negativo).
  • CLÍNICA:
    • Início: artralgia migratória +- artrite.
    • Fase mais avançada: diarreia disabsortiva.
    • Outras: cefaleia / uveíte / demência.
    • Mioarritmia oculomastigatória.
  • DIAGNÓSTICO:
    • Biópsia com macrófagos PAS-positivos.
  • TRATAMENTO:
    • Bactrim F® (800+160) por um ano.
3) PROTOZOÁRIOS INTESTINAIS
  • Unicelulares e não causam eosinofilia.
  • 90% portadores assintomáticos, mas necessita tratamento.
  • ETIOLOGIA:
    • Giardia lamblia.
    • Entamoeba hystolitica.
  • DIAGNÓSTICO:
    • Detecção de trofozoítas ou cistos nas fezes.
  • TRATAMENTO:
    • Derivados nitroimidazólicos: Flagyl® (metronidazol), Secnidal® (secnidazol), Pletil® (tinidazol).
    • Annita® (Nitazoxanida)
  • DIFERENÇAS:
    • Amebíase:
      • INVASIVA no cólon: disenteria, ameboma, abscessos hepáticos.
      • Complementar tratamento com teclozan ou etofamida.
    • Giardíase:
      • NÃO-INVASIVA do delgado: má-absorção / atapetamento.
      • Resistente a cloração da água.
4) HELMINTÍASES 
  • CARACTERÍSTICAS BÁSICAS:
    • Visíveis.
    • Rash cutâneo.
    • Eosinofilia com ciclo pulmonar de Loss.
    • Maioria assintomática.
  • CLÍNICA:
    • Diarreia e dor abdominal.
      • Síndrome de Löeffler: tosse seca, infiltrado pulmonar migratório, eosinofilia.
        • SANTA: Strongyloides stercoralis, Ancylostoma duodenale, Necator americanus, Toxocara canis, Ascaris lumbricoides.
  • TRATAMENTO:
    • Derivados imidazólicos: Zentel® (albendazol), Pantelmin® (mebendazol), tiabendazol.
ASCARIDÍASE
  • ETIOLOGIA: Ascaris lumbricoides.
  • HABITAT: delgado.
  • CLÍNICA:
    • Intestinal inespecífico / Löeffler / cólica biliar, pancreatite / suboclusão intestinal.
  • DIAGNÓSTICO:
    • EPF com pesquisa de ovos.
  • TRATAMENTO:
    • Derivados imidazólicos.
    • Outros: Ascaridil® (levamisol), pamoato de pirantel.
    • Suboclusão intestinal: suporte (SNG + hidratação), piperazina, óleo mineral e “bendazol” após eliminação.
TOXOCARÍASE (Larva migrans visceral)
  • Cachorro é hospedeiro definitivo, homem é acidental.
  • É o “Ascaris do cachorro”.
  • ETIOLOGIA: Toxocara canis.
  • CLÍNICA:
    • Hepatomegalia / ciclo pulmonar / eosinofilia (bastante intensa).
    • Doença sistêmica.
  • DIAGNÓSTICO:
    • Sorologia (ELISA)
  • TRATAMENTO:
    • Zentel® (albendazol) com ou sem corticoide sistêmico.
ANCILOSTOMÍASE
  • ETIOLOGIA: Ancylostoma duodenale e Necator americanus.
    • Vermes hematófagos.
    • Larva filarioide vive no solo e é a forma infectante.
    • Transmissão cutânea.
  • HABITAT: delgado / geo-helminto.
  • CLÍNICA:
    • Intestinal inespecífico / Sd. de Löeffler
    • Anemia ferropriva
  • DIAGNÓSTICO:
    • EPF com pesquisa de ovos.
  • TRATAMENTO:
    • “Bendazol”.
ESTRONGILOIDÍASE
  • ETIOLOGIA: Strongyloides stercoralis.
    • Único que elimina larva rabditoide.
    • Larva filarioide vive no solo e é a forma infectante.
    • Em imunossuprimidos (ppal. corticoide) => transformação de rabditoide para filarioide dentro do intestino => AUTOINFESTAÇÃO (risco de sepse).
  • HABITAT: delgado / geo-helminto.
  • CLÍNICA:
    • Lesão cutânea / Sd. de Löeffler.
    • Autoinfestação: forma disseminada e sepse.
  • DIAGNÓSTICO:
    • EPF com técnica de Baermann-Moraes (pesquisa de larva.
  • TRATAMENTO:
    • Revectina® (ivermectina), cambendazol, tiabendazol.
TRICURÍASE = prolapso retal.
OXIURÍASE (ENTEROBÍASE) = prurido anal e fita gomada.
5) SÍNDROME DO INTESTINO IRRITÁVEL 
  • Diarreia funcional
  • Mulheres 30-50 anos.
  • CLÍNICA:
    • Dor abdominal + diarreia e/ou constipação.
    • Diagnóstico de exclusão.
  • DIAGNÓSTICO:
    • Critérios de ROMA III:
      • Dor abdominal pelos menos 3d/mês (últimos 3 meses)
      •                                        E
      • Pelo menos dois: melhora com evacuação / alteração na frequência / alteração na forma das fezes.
  • TRATAMENTO:
    • Sintomático: Luftal® (simeticona), Imosec® (loperamida), dieta.
6) DOENÇA INFLAMATÓRIA INTESTINAL
6.1) DOENÇA DE CROHN
  • TRANSMURAL + “DA BOCA AO ÂNUS” + NÃO CONTÍNUA (SALPICADA)
  • CLÍNICA:
    • Diarreia + dor abdominal + emagrecimento.
    • Manifestações extraintestinais: eritema nodoso (atividade de doença), cálculo biliar, artrite periférica, cálculo renal.
  • DIAGNÓSTICO:
    • Exame endoscópico com biópsia: pedras de calçamento (cobblestones) e úlceras.
    • Biópsia: granuloma não caseoso (patognomônico).
    • Sorologia: ASCA.
  • TRATAMENTO:
    • Clínico
      • Aminossalicilatos
      • Corticoide (remissão – formas moderada a grave)
      • Antibiótico (Flagyl® +\- Cipro®): DC fistulizante e perianal.
      • Imuran® (azatioprina), Purinethol® (6-mercaptopurina), Methotrexate® (metotrexate), Sandimmun® (ciclosporina), ifliximab
    • Cirúrgico
      • Operar quando houver complicações.
6.2) RETOCOLITE ULCERATIVA
    • RESTRITA A MUCOSA + RETO E CÓLON + CONTÍNUA E ASCENDENTE
    • CLÍNICA:
      • Diarreia baixa disentérica.
      • Manifestações extraintestinais: pioderma gangrenoso, colangite esclerosante (antimitocôndria), sacroileíte soronegativa (atividade de doença).
  • DIAGNÓSTICO:
    • Exame endoscópico com biópsia: mucosa eritematosa, friável, edemaciada, pseudopólipos.
    • Biópsia: criptite inespecífica.
    • Sorologia: p-ANCA.
  • TRATAMENTO:
    • Clínico
      • Aminossalicilatos
      • Corticoide (remissão – formas moderada a grave)
      • Imuran® (azatioprina), Purinethol® (6-mercaptopurina), Methotrexate® (metotrexate), Sandimmun® (ciclosporina), ifliximab.
    • Cirúrgico
    • Em casos refratários, displasia/câncer, complicações.
    • Eletiva: protocolectomia com bolsa ileal.
    • Urgência: cirurgia a Hartmann.